domingo, 21 de setembro de 2014

JORNALISMO. Diretor da Diário desmentido por Ciro Gomes


O bodum do final de semana, em termos de bastidores políticos, foi a postagem do jornalista Roberto Moreira, de um possível atrito entre o secretário Ciro Gomes e o candidato do PT-Pros, Camilo Santana. Em seu blog, o diretor de telejornalismo da TV Diário, postou que Ciro teria agredido verbalmente pelo secretário:

Momentos depois, o secretário Ciro Gomes disparou sua metralhadora giratória e o blogueiro teve que postar uma nota de esclarecimento na tentativa de apagar o incêndio provocado pela (des)informação. 








WEB. Facebook tem como salvar 'post' para se ver depois


O Facebook colocou no ar uma ferramenta que permite aos usuários "guardar" conteúdo para ver com calma mais tarde. A função Salvar garante que se visualize posteriormente o que não se consegue acompanhar em tempo real.

Se você tem alguma dúvida sobre tecnologia, envie um e-mail para uoltecnologia@uol.com.br, que ela pode ser respondida.

Embora não esteja disponível para todos os tipos de posts, normalmente, o Facebook permite guardar links, locais, músicas, livros, filmes, programas de TV e eventos postados por amigos ou páginas. A aba 'Todos' mostra tudo o que foi separado até o momento. Já o Arquivo mantém o foi que salvo e, posteriormente, descartado pelo usuário.

O recurso pode ser executado em sua rede social logada no desktop ou em dispositivos móveis, como smartphones e tablets. Para utilizá-lo, basta seguir o tutorial abaixo. O passo-a-passo para mobile foi executado em um Android, mas o procedimento é semelhante para iOS (a função ainda não existe para Windows Phone).

sábado, 20 de setembro de 2014

ELEIÇÕES 2014. Campanha do Brasil vista por venezuelanos


Nas redes sociais venezuelanas, a presidenta Dilma Rousseff é alvo de campanha. Será que a origem é mesmo venezuelana?

SHOW. Cantora cearense não largou a atividade artística


Amigos e admiradores de Fhátima Santos, entre os quais me incluo como fã, estão torcendo para que ela retome as atividades artísticas, paralisadas momentaneamente, a ponto de circularem versões de que ela teria abandonado a profissão. Na verdade, ela não deixou de cantar. 

Em sua página do Facebook, Fhatima esclarece o que está acontecendo e desmente a estória de que abandonara a vida de cantora. Além do mais, ela pede um tempo para cuidar um pouco de si. Tem todo o tempo do mundo, grande cantora!




DANÇA DAS CADEIRAS. Danni Calabresa vai sair do CQC


Dani Calabresa estreou o ano já na bancada do 'Custe o Que Custar', na Band. O que não era esperado era que a passagem da moça pudesse ser tão rápida.
Segundo informações do colunista Flávio Ricco, a humorista poderá ser dispensada da atração no fim do ano e não retornar para a próxima temporada. Mesmo com contrato assinado com a dona do formato do 'CQC', a Cuatro Cabezas, rumores sobre a saída de Dani só aumentam.
O programa, independente da permanência ou não de Dani Calabresa, irá passar por uma reformulação completa. A atração vem apresentado índices que audiência decrescentes.
Um dos motivos sobre a possível saída da moça é que ela não rendeu ao programa o que era esperado.

CHARGES - Quem é bom, já nasce Clayton: Eike pobrezinho!



sexta-feira, 19 de setembro de 2014

MARKETING. 20 logomarcas com significados secretos


Já indiquei aqui no GENTE DE MÍDIA, o blog Curtido. Curioso, irreverente - ele lança diariamente postagens as mais bizarras e as informativas que têm, como a das logomarcas com significados secretos, um efeito impressionante. Nele, 20 logomarcas com significados secretos
O logo do FedEX tem uma seta escondida entre as letras “E” e “X”. Isso simboliza a agilidade na entrega das encomendas.


Parece apenas uma logo moderninha, mas tem um significado. O “V” e o “A” simbolizam um sinal analógico e as outras duas representam os números 1 e 0 (sistema binário).




Berna, na Suíca, é conhecida pelas altas montanhas, assim como é chamada de “A cidade dos ursos”. Perceba que existe uma silhueta de um urso na montanha.



Barkin Robbins oferece 31 sabores de sorvete. Logo, o número 31 está escondido nas letras iniciais da marca.



Este logo foi inteiramente criado com o número 8, acompanhando o nome da empresa.



Várias referências neste logo. Observe que o símbolo dentro do círculo forma as letras “N” e “W”, de Northwest. O triângulo vermelho também aponta para o noroeste (Northwest, novamente).



A seta amarela não parece apenas um emoticon. Ela também sugere que você pode comprar tudo de “A” a “Z”.



Aqui foi representado um código binário para o nome. Linha superior: 1010000 e na parte inferior: 0.010.100.




Aqui você acompanha um maravilhoso trabalho de simetria e ordem. O logo é formado pelas letras “U” e “N”. Se você prestar atenção, verá surgir a palavra SUN.



As letras “TiT” são duas pessoas desfrutando comida mexicana numa mesa.



Muita gente não percebe o número 1 oculto entre a letra F e as linhas de velocidade.



No logo da Elefont, você pode perceber uma tromba no espaço negativo.



As cores do logo da NBC simbolizam as 6 diferentes divisões da empresa. Uma cabeça é visível no centro delas, formando um pavão.



Carrefour é um dos maiores varejistas europeus, e em francês significa “cruzamento”. O logo simboliza esta palavra através de duas setas opostas. Ao centro, você percebe a letra “C” no espaço negativo.




A Unilever produz milhares de produtos diferentes, portanto, a letra “U” é composta por símbolos que representam todos estes produtos e o que eles significam para seus consumidores.






Este logo foi criado para um jogo de quebra-cabeças chamado “Cluenatic”. Perceba que a figura é composta pelas letras “C”, “L”, “U” e “E”, como se fossem um labirinto.



Families é uma revista. As letras “ili” juntas formam uma família.






À primeira vista, este logo parece um mapa da África, mas se você olhar bem, vai ver duas pessoas se olhando.



O nome da empresa é “Elettrodomestici – Home Appliances”, ou “ED”. Logo, os designers resolveram adotar as duas letras (“E” e “D”), além de criar uma tomada.







Este é um logo conceitual. Ele mostra um jogador de golfe no momento de uma jogada, e ao mesmo tempo um capacete de guerreiro espartano.

FILME. Danton, libelo em favor da liberdade de expressão


Todo político devia, obrigatoriamente, consultar um pouco a História. Nela, mirar-se nos exemplos que marcaram a humanidade. Como o período da Revolução Francesa. O filme "Danton", de Andrezej Wajda, é um marco de todo o processo revolucionário envolvendo políticos como Georges Danton, Camile Demoullins, Robespierre, entre outros. A história deles poderia ensinar aos homens de hoje o que era o fazer politico.  

Citação do 'Le Vieux Cordelier', o jornal dos idealistas Danton e Camile Demoullins no Século dezoito





JORNALISMO. Seis conselhos básicos para jovens iniciantes


Você tem energia, flexibilidade e ambição para ser jornalista? Sean Dooley tem alguns conselhos que você precisa saber antes de buscar vaga numa redação.

Em sua coluna no 'The Guardian', o ex-editor da Northcliffe Media, Sean Dooley, oferece alguns conselhos aos jovens jornalistas que iniciam sua atividade profissional, tanto em publicações locais como de renome nacional. Além de leitura e investigação de forma exaustiva dos fatos, o ex-editor recomenda:

Mostrar entusiasmo pelo meio. Embora os redatores-chefe saibam muito bem o que podem esperar de um empregado jovem, eles não buscam contratar alguém que só demonstre interesse em aprender para depois conseguir outro trabalho melhor. 

Ser realista acerca do salário. Se nos "bons tempos" sempre se oferecia salários baixos no começo e a promessa de aumentá-los de forma progressiva caso o jornalista demonstrasse trabalho e esforço, agora, com o furacão econômico que sacode a indústria, as ofertas estão ainda pior. 

Uma vez contratado, ser honesto. Os encarregados dos meios regionais sabem que seus melhores jornalistas vão para outros meios e a maioria, inclusive, os apoia. Se se aposta por uma empresa de alcance nacional, não há nada mais útil do que os contatos. Os pequenos jornais são muitas vezes o primeiro passo e servem para conhecer o meio e demonstrar as próprias habilidades. 

Estar preparado para mudar o plano de carreira Não há oportunidade melhor para experimentar do que numa redação de um pequeno jornal ou mesmo de um semanário, onde as poucas hierarquias e todos fazem de tudo. 

Oferecer algo distinto se se quer trabalhar como free-lance. As reportagens gerais são mais interessantes aos editores. Há que se concentrar nas idéias que uma redação não pode cobrir por falta de tempo ou de recursos.

Perguntar tudo antes. Embora esteja desesperado para conseguir uma vaga, nunca deixar de perguntar sobre as dúvidas que se tenha e consultar sobretudo os aspectos sobre todas as editorias e a capacitação que se receberá como aprendiz. Ao menos se conseguirá impressionar o chefe.

Sean Dooley editou jornais regionais para Northcliffe Media por 25 anos até 2006. Trabalha como consultor e é ombudsman do Conselho Nacional para Treinamento dos Jornalistas

MÚSICA. A origem dos nomes das bandas de música (reprise)


Um artigo de André Höchemer no Google+ revela a origem dos nomes das bandas famosas como AC / DC, The Beatles, REM , Queen, U2 e outras

ABBA  - são as iniciais dos nomes dos membros da banda sueca:  Agnetha Fältskog , Björn Ulvaeus, Benny Andersson e Anni -Frid Lyngstad.AC / DC veio da sigla " AC / DC" em Inglês . Por um lado, o ícone do grupo traz um raio em vez de uma barra entre as duas siglas , certo?Os BEATLES escolheram seu nome para um jogo de palavras entre " beetles " ( besouros ) e " beat" ( batida do coração ). e não por serem cabeludos.. 
COLDPLAY tomaram seu nome de uma banda de amigos Starfish, quando eles se cansaram do nome do grupo. Originalmente, o nome foi inspirado Child's Reflections, Cold Play, um livro de poemas de Philip Horky .DEEP PURPLE foi escolhido a partir da canção de Peter DeRose "Deep Purple". 
DEPECHE MODE foi nominado por Dave Gahan após ler uma revista de moda francesa chamada 'Depeche Mode', que significa "Fashion News".
DIRE STRAITS - nome surgido após o desastre financeiro da banda original que se chamava 'Café Racers'. Alguém citou a frase que, mais ou menos, significa algo como "sérios apertos" ou "situação desesperadora".FOO FIGHTERS - foii um termo cunhado pelos pilotos na Segunda Guerra Mundial para descrever os supostos OVNIs e fenômenos aéreos misteriosos visto.GREEN DAY tomou o nome de uma gíria para descrever um dia fumar maconha, coisa que a banda fazia sempre. 
GUNS N´ROSES surgiu da fusão de duas bandas e músicos : L.A. Guns de Tracii Guns e Hollywood Rose de Axl Rose. 
IRON MAIDEN derivou seu nome de um instrumento de tortura chamado assim e que traduzido quer dizer "donzela de ferro". 
LED ZEPPELIN - refere-se ao desastre com o Zeppelin Hindenburg, porque seus membros acreditavam que o grupo seria um fracasso como um "balão de chumbo". 
NIRVANA - não requer tradução e foi eleito por Kurt Cobain depois de ser chamada de Skid Row, Pen Cap Chew, Bliss e Ted Ed Fred,. Aí, resolveram buscar um nome simples e bonito. 
OASIS - parece auto explicativo, mas surgiu quando a banda - originalmente The Rain (A chuva) - buscou mudanças e fixou seu nome a partir da sala de concertos Oasis Leisure Centre .
PEARL JAM - foi originalmente chamado de Mookie Blaylock, nome de um astro do basquete, mas mudou para o atual em homenagem à bisavó de Eddie Vedder , Pearl Brunner . Em 2006, no entanto, a banda disse que o baixista Jeff Ament propôs "Pearl" e " Jam" foi adicionado depois de ver uma 'jam session' de Neil Young ao vivo.PIXIES - é uma palavra retirada do dicionário aleatoriamente pelos membros do grupo, porque gostavam de como ela soava soava . Na verdade, os pixies (duendes) são pequenos elfos ou fadas no folclore britânico.PINK FLOYD - originalmente chamado The Pink Floyd Sound, pois Syd Barret escolheu em homenagem a dois cantores de blues americanos: Pink Anderson e Floyd Council.QUEEN  surgiu com o nome de Smile (Sorriso). Mais tarde, Freddie Mercury sugeriu o novo nome, que parecia expressão universal e aberta a todos os tipos de interpretações, incluindo conotação homossexual da qual ele estava bem ciente .RADIOHEAD - Foi inicialmente chamada "On a Friday" (Em uma sexta-feira) mas ao assinar contrato com a gravadora Parlophone, a banda se viu forçada a mudar seu nome e escolheu uma canção do Talkin Head" intitulada 'Radio Head' ( álbum True Stories, 1986). 
RAMMSTEIN vem da cidade alemã de Ramstein, conhecida por um grave acidente em um show aéreo com 70 vítimas. No início, chamava-se "Rammstein - Flugschau" ( " Rammstein Air Show" , em alemão) e registrou-se com um erro - um "m" a mais no nome da cidade. 
RAMONES - vem do fato de Paul McCartney que ao reservar um quarto em hotéis costumava pedir que colotcassem o nome de Paul Ramon(e) para evitar ser perturbado. Os integrantes do grupo passaram então a usar o sobrenome Ramone e acabou virando a grande família. 
RED HOT CHILLI PEPPERS - não foram chamados assim sempre. Começou como 'Tony Flow And The Miraculously Majestic Masters Of Mayhem' (ufa!). Com  o sucesso resolveram chamar-se de "Pimentões vermelhos picantes". 
REM - um integrante do grupo recorreu ao dicionário para procurar um nome e manteve a abreviatura de uma frase "Rapid e yes Movement" ("movimientos oculares rápidos")
ROLLING STONES - Eles se chamam assim por conta de uma canção homônima de Muddy Waters e não pela conheça canção "Like a Rolling Stone" de Bob Dylan. O nome significa algo como "Os giramundos". U2 - embora o Bono tenha dito que tem algo a ver com uma linha do metrô de Berlim, mas é devido a interação da banda com o seu público. Quando pronunciado “you too” (“vocês também”). 
THE WHO - eram chamados de 'The Detours', mas depois mudaram quando Pete Townshend e seu companheiro de quarto Richard Barnes procuraram um nome mais engraçado. Embora o primeiro agente do grupo tenha os renomeado como 'The High Numbers', os membros da banda voltaram a 'The Who'. 

EDITORIAL. Jornalista que não lê, informa?


Fui instigado por um leitor a responder se os novos profissionais que saem dos cursos de Comunicação Social, aqui no Ceará, têm alguma relação mais íntima com a leitura e o fazer jornalístico. Confesso que tenho convivido com muitos deles, advindos das últimas gerações e tenho percebido em alguns, talento e criatividade para crescerem; porém, em outros, uma certa indolência em querer se informar mais e ser melhor. 


Não é só o ensino formal, a formação acadêmica, que consegue dar o ponto ideal desses jovens que estão acabando de sair do forno. Elas são necessárias para o conhecimento das técnicas e o poder de conscientização para a qual se obrigam os formandos. Escolas com formação de nível de qualidade, existem. A da UFC e a da Unifor são exemplos. Contudo, volto a insistir: esse meio profissional não está acabado, concluído. Ele se renova e se refaz a cada dia. Novos conhecimentos surgem a partir de novas descobertas. Há uma reciclagem constante. Portanto, ninguém está devidamente preparado, pronto. 


Tenho acompanhado o trabalho de jovens repórteres nos jornais. Vejo o crescimento de quem busca o jornalismo impresso. Seria desnecessário citar nomes para não ser injusto com outros. Eles estão aí, no dia-a-dia. Mostrando a própria evolução da mídia escrita, a renovar-se constantemente, com o auxílio deles. 

Quando se vai para algumas editorias da reportagem televisiva ou rádio-esportiva, em muitos casos há um distanciamento na maneira do buscar a melhor forma de traduzir um fato, sem comprometer-se com adjetivações indevidas; nem tampouco advérbios que acabam revelando a falta de conexão do texto. E a impressão que deixam é de que lhes falta leitura - um jornalista, no mínimo, tem obrigação de ler mais de um jornal ou ver mais de um telejornal para fazer comparações com seu próprio trabalho. 

Nesse meio, sabe-se de casos de maus profissionais, que se acham acima do bem e do mal e se melindram diante de uma crítica positiva, em busca de aperfeiçoar o seu fazer jornalístico. São aqueles que, sem humildade, não sabem aprender; sem compromisso, não desejam ser corregidos e, sem vocação, estão de passagem numa atividade que, muito bem, pode se tornar bastante fugaz para aqueles que não tem o menor talento. E somem tão rápido quanto surgiram.

CENSURA. Edson Celulari foi fichado nos tempos da ditadura


Nos tempos da ditadura, o DOPS fichava deus e o mundo que não pensasse igual aos militares. Agora que os arquivos estão sendo abertos, vem à público fotos de jovens que acabaram sendo marcados nos anos de chumbo. Uma delas, revela o excelente ator Edson Celulari aos tempos em que era estudante na USP. O ator era um ativista contra o domínio do terror. A censura, está provado, é algo que interessa apenas aos antidemocratas.

REVISTA. Capa da W de outubro corta os braços de Naomi



MERCADO. O brasileiro IBOPE foi vendido a um grupo inglês


O IBOPE foi vendido a um grupo inglês. É o que informa a jornalista Keila Jimenez, da Folha de SP. 

O Instituto Ibope terá um novo dono. A família Montenegro, fundadora e proprietária do Ibope há 62 anos, está vendendo a maior parte de sua ações na empresa para o grupo britânico WPP. Os sócios ingleses, que já possuem 44% do Ibope Mídia, que afere, entre outras coisas, audiência de TV no Brasil, estão comprando mais cerca de 40% das ações, tornando-se sócios majoritários do instituto.

A mesma WPP, proprietária da empresa Kantar Media, também está fechando a compra de pelo menos metade das ações do Ibope Inteligência, área que cuida de pesquisas relacionadas a consumo, opinião pública e pesquisas eleitorais.

A venda da parte majoritária das ações do Ibope Mídia deve ser anunciada até o final de outubro. 

A Folha apurou que o negócio, que ultrapassa a casa dos R$ 400 milhões, está na fase final, com o instituto passando por uma auditoria interna.

Simultaneamente, o Ibope fecha novos contratos de serviços de audiência e pesquisas com clientes como as emissoras Record e Band, que estão renovando seus acordos com o instituto por mais três anos.

O investimento da WPP na medição de audiência brasileira também coincide com a chegada do instituto alemão GFK no negócio, que irá implantar suas pesquisas no setor em 2015.

(Outro canal)
-

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

TV. Globo muda nome de filme com apelido de concorrente


Nesse mundo de marketing e falações, tem de tudo. Como o caso da Globo, contado pelo Daniel Castro. A Globo mudou o nome do filme da Sessão da Tarde para não fazer propaganda involuntária para um programa concorrente. 

Programado para a próxima terça (23), o longa 'O Menino de Ouro' (2011) está sendo anunciado pela emissora como 'Um Presente Especial'. Menino de Ouro é o apelido que Luiz Bacci, apresentador do Tá Na Tela Band, que compete por público diretamente com a Sessão da Tarde durante 45 minutos.

O filme britânico (Foster, no original) foi exibido pela primeira vez na Globo em 11 de dezembro de 2013 com o nome O Menino de Ouro, título oficial no Brasil. A película iria ao ar novamente no dia 14 de agosto, dez dias depois da estreia de Bacci na Band, porém a emissora cancelou a veiculação e a trocou por Ace - Uma Questão de Justiça (2008).

(Notícias da TV)

NOMES. Morre Nelson Biasoli, criador do "Eu sou brasileiro..."


Quem morreu ontem em SP, foi o professor aposentado e compositor Nelson Biasoli, recordista mundial na criação de hinos para municípios. Sua composição mais famosa, porém, é "Grito de Guerra" do refrão "Eu sou brasileiro/ Com muito orgulho/ Com muito amor", cantada nos estádios e, principalmente, na Copa do Brasil.

CAPA DE JORNAIS. O delator na capa do Diário do Comércio



FAMOSOS. Júlia Lemmertz e Alexandre Borges se separam





Júlia Lemmertz e Alexandre Borges decidiram, depois de 21 anos de casados, se separar. O rompimento ocorre de forma amigável e os dois ainda moram juntos.
Assim que voltar de viagem com a peça “Uma Pilha de Pratos na Cozinha”, o ator começará a procurar uma nova casa, para morar sozinho. 
O fim do relacionamento do casal já foi boato diversas vezes: em 2007, 2010 e 2012.
(Informação do colunista Leo Dias, de “O Dia”)

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

ELEIÇÕES. Político dá golpe e não paga jingle de campanha


O técnico de som Manu Magalhães está denunciando um candidato a deputado estadual que não quitou a dívida com a propaganda eleitoral feita sob sua encomenda. Ele postou nas redes sociais uma ameaça. Escreve ele no Facebook




Infelizmente, o acusador não cita o nome do político. 

JORNAIS. Novas tecnologias ameaçam a figura do jornaleiro?


Nesses tempos de vacas magras para o jornalismo impresso, em que esse tipo de mídia sofre os efeitos das novas tecnologias, Fortaleza parece confirmar a impressão da queda da venda de jornais. Basta notar a diminuição do número de gazeteiros pelas ruas da capital. Hoje em dia, o número deles é bem menor do que registrado no passado, embora algumas empresas considerem que a crise já foi maior. Hoje, a situação está estabilizada. 

Junto à empresa O Povo, ouvi do coordenador de distribuição Hermógenes Morais a afirmação de que, nos últimos seis meses, o número de vendedores nas esquinas permanece estável. Não houve redução. Em torno de 60 profissionais atuam diariamente, com aumento deles nos finais de semana para as vendas de sábado e domingo. 

A mesma transparência não podemos obter no setor de distribuição do Diário do Nordeste. Lá, não foi possível fazer essa avaliação, porque "o responsável está de férias e só retorna em outubro". E ninguém saberia responder a essa indagação.

No entanto, conseguimos detectar o ponto de maior vendagem de jornais impressos na capital cearense. Ele está localizado na avenida Beira Mar, junto ao Ponto do Guaraná. É lá onde se concentra a maior venda de jornais, via gazeteiros. 

FALANDO NISSO 


Veja o verdadeiro papel de um jornal aos domingos, segundo anúncio do The Guardian. 




Dia 30 é o dia do jornaleiro

JORNALISTAS. A verdadeira identidade de Tutty Vasques


Já postei por aqui a verdadeira identidade de Tutty Vasques, o colunista do Estado de SP que é um dos mais lidos em termos de humor. 

Na verdade, trata-se de Alfredo Ribeiro de Barros (Rio de Janeiro, 1954), "um jornalista brasileiro, mais conhecido por seu alterego Tutty Vasques. Por meio deste, mantém uma coluna de humor que desde 1985 passou por diversas publicações, entre elas Jornal do Brasil, Época e Veja. 

Foi o primeiro editor do suplemento "Veja Rio", função que ocupou também no "Caderno B" do Jornal do Brasil. Além disso, participou do Jornal dos Sports, Folha de S. Paulo, Contigo!, Criativa, Playboy e Lance! 

Fundou com outros jornalistas a primeira revista eletrônica brasileira, a NO., sucedida pelo portal de jornalismo NoMínimo (que entrou no ar em junho de 2002 e foi descontinuado cinco anos depois, em 29 de junho de 2007".

NOSSO ARQUIVO. Postagens que vale a pena ler de novo


RÁDIO. Bom pra eles, melhor ainda para nós

.
A National Public Radio deu a conhecer hoje suas novas regras éticas - NPR Ethics Handbook – vale por uma lição de eticidade para quem faz mídia, em especial para os que atuam no rádio. Aproveitei e adaptei alguns dos pontos que considero da maior importância.

NPR
Nossos Princípios Orientadores
NPR é em seu núcleo uma organização de notícias. Nosso conteúdo de notícias, seja no rádio, na internet ou em qualquer outra forma, deve atingir a mais alta qualidade e reforçar a nossa credibilidade. Orgulhamo-nos de nosso ofício. Nosso jornalismo é tão preciso, justa e completamente possível. Os nossos jornalistas realizam o seu trabalho com honestidade e respeito, e eles se esforçam para ser independentes e imparciais em seus esforços. Nossos métodos são transparentes e nós seremos responsáveis ​​por tudo o que fizermos.
Nosso objetivo é buscar a verdade. Verificação diligente é crítica. Tomamos grande cuidado para assegurar que as declarações de fato em nosso jornalismo estejam corretas e dentro do contexto. Dedicamos nossos recursos e nossas habilidades para apresentar a mais completa versão da verdade que podemos oferecer, colocando o valor mais alto em informações que colhemos e verificada a nós mesmos.
·         Justiça
Para contar a verdadeira história é essencial que nós tratemos tudo de forma especial. Que a entrevista e algum relatório seja feita com justiça escrupulosa, norteada por um espírito de profissionalismo [...]  O que nós transmitimos e colocamos 'on-line' é editado pelo tempo e com clareza. Sempre que passamos a citar, editar ou interpretar o que as pessoas nos dizem, nosso objetivo é ser fiel ao seu significado, por isso nossas histórias soam verdadeiras... Em todas as nossas histórias, especialmente em assuntos de controvérsia, nós nos esforçamos para considerar os argumentos mais fortes que podemos encontrar em todos os lados, buscando oferecer tanto a nuance quanto a clareza. Nosso objetivo não é agradar aqueles que relatamos ou para produzir histórias que criam a aparência de equilíbrio, mas buscar a verdade.
·      Plenitude
Fazemos o melhor para relatar minuciosamente e contar histórias de forma abrangente. Nem sempre tem tempo ou espaço em uma história para dizer tudo o que gostaríamos ou citar todo mundo que gostaríamos de incluir. Mas os erros de omissão e verdades parciais podem causar grande dano na nossa credibilidade e as histórias entregues sem o contexto para entendê-los completamente, são incompletas. 
Jornalistas que se conduzem honestamente provam ser dignos de confiança. No decorrer de nosso trabalho, fazemos tudo de forma verdadeira e sincera. Editar e apresentar a informação honesta, sem engano, é como nos identificamos como jornalistas NPR quando nos reportamos. 
Para garantir a confiança do público, é preciso deixar claro que nossa lealdade primordial é para o público. Quaisquer interesses pessoais ou profissionais que entrem em conflito com a lealdade, seja na aparência ou na realidade, comprometem a nossa credibilidade.
·         Imparcialidade
Nossas experiências e perspectivas são ativos valiosos para o nosso jornalismo.Nós apreciamos o direito de robustos vidas pessoais, mas aceitamos algumas obrigações únicos profissionais e limitações. Porque nossas palavras e ações podem danificar a opinião do público de NPR, que pode comprometer a imparcialidade profissional. Temos opiniões, como todas as pessoas. Mas o público merece relato factual e análise informada sem influenciar nossas opiniões o que ouve ou vê. 
Inspirar confiança no nosso jornalismo é fundamental para dar ao público as ferramentas para avaliar o nosso trabalho. Divulgamos qualquer relacionamento, seja com parceiros ou financiadores, que poderiam parecem influenciar a nossa cobertura.
·        Responsabilidade
Assumimos total responsabilidade pelo nosso trabalho, por isso devemos estar sempre prontos e dispostos a responder por isso. Os erros são inevitáveis. Quando fizermos, iremos corrigi-los sem rodeios, refletir sobre o que aconteceu e aprender com eles.
·  Respeito
Toda pessoa afetada por nosso jornalismo merece ser tratado com decência e compaixão. Estamos com nossas ações e palavras, evitando a arrogância e presunção. Ouvir sempre os outros. Quando fizermos perguntas difíceis, fazemo-las em busca de respostas - e não confrontos. Somos sensíveis às diferenças de atitudes e cultura. Nós minimizar os danos indevidos e tomar um cuidado especial com aqueles que são vulne
Nosso jornalismo é mais valioso quando se casa com verdades importantes e com o exercício narrativo. Temos orgulho de nossa narrativa e na qualidade das palavras, sons e imagens que usamos para ajudar a iluminar o mundo. Quando editadas, devemos adicionar impacto e clareza ao nosso jornalismo - nunca inclinar ou distorcer.
Vamos cumprir o alto padrão para que o público se mantenha fiel aos nossos princípios. Isso requer que abracemos complexidade e continuamente pensando em decisões difíceis. 
Dica via Ponto Media.